Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Full Frame

GNR - "Caixa Negra" aberta na Invicta

Sábado (27 de Março) os GNR tomaram de assalto a rua Cândido dos Reis no Porto. Ao longo do dia foram distribuídas luzes com uns cartões às pessoas que passavam pelas ruas da Invicta, para as convidar para um evento surpresa que iria decorrer mesmo em frente ao Plano B. 

 

  (Entrevista de Tiago David)

 

Centenas de pessoas na rua, num "engarrafamento" à espera de saber o que se iria ali passar. Pela meia noite e meia caiam as cortinas e fora desvendado o mistério em torno daquela "caixa": um concerto dos GNR.

 

 

Foi o primeiro concerto da banda neste registo mas, "Caixa Negra", é também o primeiro álbum a ser editado pela IndieFada (editora discográfica formada pelos próprios membros da banda) e produzido por Mário Barreiros.

 

O Grupo Novo Rock deu início ao espectáculo com "Triste Titan", parte integrante do novo disco, seguido de "Vídeo Maria" um clássico de 1988 editado pela Emi - Valentim de Caravalho, "Caixa Negra", "Bellevue" (1986) e "Não há Guerra". Nesta noite estrelada, Rui Reininho poupou-se nas palavras mas não nas canções e nas viagens.

 

Este novo disco é como um regressar às origens segundo a banda.

 

O concerto estava perto do fim, ouviu-se "MacAbro" e de seguida o single deste novo álbum "Cadeira Eléctrica" que encerrou este "pequeno" espectáculo em grande. O single do 12º álbum da banda foi lançado em Dezembro do ano passado, o que levou a legião de espectadores a cantar em uníssono este tema. E foi assim o concerto dos GNR, num género de vai-e-vem entre o passado e o presente.

 

 

Este concerto mostrou a todos que, mesmo ao fim de mais de três décadas de existência, os GNR continuam "em forma". Apesar desta revisitação ao passado durante o concerto, "Caixa Negra" refere-se apenas ao passado com um remake do tema "Desnorteado" - parte integrante do disco "Defeitos Especiais" de 1984.